⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

terça-feira, agosto 15, 2017

REVIEW | Licenciei-me... e agora?, de Catarina Sousa


Ainda me falta um ano para terminar a licenciatura, mas a leitura deste livro ocorreu na altura certa. As incertezas do "o que vou fazer a seguir" chegaram mais cedo do que esperado e, apesar de já ter um plano traçado para os próximos três/cinco anos, a verdade é que o meu cérebro gosta de me atacar e de me deixar com dúvidas em relação a esse mesmo plano. 
Numa visita à Bertrand, os meus olhos pousaram imendiatamente neste livro, devido ao seu título. A curiosidade aumentou ainda mais quando constatei que a Catarina, a autora do Licenciei-me... e agora? foi aluna na minha faculdade. Quais eram as probabilidades? Senti, de momento, que este livro era para mim e comprei-o sem hesitar duas vezes.

Para além de ser uma perspectiva pessoal do percurso da Catarina, o Licenciei-me... e agora? é um livro rico em conteúdo para quem terminou os estudos e quer envergar no mundo do trabalho, um mundo cada vez mais competitivo e difícil. É praticamente um passo-a-passo do que devemos fazer para conquistar um lugar no nosso trabalho de sonho.
O que mais me agradou neste livro foi a frontalidade que apresenta. Não é um livro que nos mostra o mundo do trabalho como um "conto de fadas" ou de como vai ser fácil o nosso caminho até lá, mas sim um livro que nos mostra a realidade nua e crua e que nos prepara para "o que aí vem".

quinta-feira, agosto 10, 2017

ALL THE BRIGHT PLACES | Um novo conceito

all the bright places já teve, ao longo do seu ano e quatro meses de existência, muitos altos e baixos, muitos empenhos e muitas desistências. Começou como um blog de incerteza e sem ter um tema que o definisse correctamente. Talvez tenha sido essa a razão que me levou a desistir tantas vezes dele. Não tinha um plano concreto, não falava apenas de um tema que me interessasse e acabava por envergar para os lados, sem um caminho concreto. 

Depois de um fechar, a achar que seria permanente, dei por mim a pensar: e se o meu blog abordasse apenas um conceito? E se eu falasse apenas daquilo que realmente sei?
Decidi, mais uma vez, dar uma opotunidade ao all the bright places, mas com um novo capítulo; um capítulo onde falarei apenas sobre aquilo que me move: a minha paixão pelo mundo dos livros.

Tenho a perfeita noção de que será um tema que não agradará a todos, e que por isso poderei mesmo perder alguma audiência que me seguia e que apreciava a generalidade do meu blog. Mas tranquilizo a minha consciência ao saber que desse lado estarão pessoas que vão apreciar esta nova categoria do blog e que vão apreciar o meu trabalho. Sinto que o mesmo será mais valorizado, agora que tem apenas uma vertente, uma vertente que eu sei que consigo sustentar e dar o melhor de mim.

O nome mantem-se, pois só assim faria sentido, mas o conteúdo partirá numa nova direcção. Numa altura da minha vida em que o futuro se aproxima cada vez mais, para mim e para a minha vida profissional e educacional só fará sentido eu partilhar aqui o tema que ocupa 70% da minha existência e que sempre fará parte da mesma. 

Sem grandes promessas, por já me conhecer suficientemente bem para tal, o all the bright places continuará a fazer parte do meu percurso, com os seus altos e baixos, como sempre, mas com a convicção e acreditação que não tinha no seu primeiro ano e quatro meses de vida. 

A um novo começo, com muitas janelas por abrir ainda.

quinta-feira, março 23, 2017

#BringThePopcorn | Beauty and the Beast


A ideia de um remake do clássico da Disney A Bela e o Monstro não me agradou logo de início. Não sou fã de remakes, principalmente quando o original é bom - pois, quando o original é bom, muito dificilmente o remake será melhor.
Quando vi o trailler, a ideia caiu em melhor graça. Achei que afinal não seria, de todo, uma desgraça e que talvez até fosse gostar. Gostei da escolha da atriz principal (Emma Watson) e isso foi meio caminho andado para a minha vontade de ver o filme crescer. Depois de tanta espera, o filme finalmente saiu e eu lá fui vê-lo. Ia com grandes expectativas e sabem que mais? O filme superou-as "à grande"!

O que mais me agradou foi o facto de o remake ser tão fiel ao original. Desde as falas às vestimentas, é tudo bastante semelhante. As personagens são as mesmas - vá lá que não se puseram a inventar e não puseram lá personagens desnecessárias -, as personalidades mantêm-se e os sentimentos também. 

quarta-feira, março 22, 2017

ANIMALIFE | Faça a conta/coisa certa

Para aqueles que ainda não conhecem, a Animalife é uma associação - sem fins lucrativos - que tem como objectivo ajudar a combater o abandono dos animais. Como? Ajudando não só associações de protecção animal como apoiando famílias carenciadas que tenham consigo um animal de estimação, uma vez que, normalmente, este tipo de famílias não recebe qualquer tipo de apoio para os seus animais. 

Segundo o site, "A Animalife é a entidade criadora e gestora do Banco Solidário Animal, campanha que ocorre duas vezes por ano em parceria com a Sonae, através da qual são angariados alimentos para animais de companhia". 
Para além desta forma de ajudar esta associação, a Animalife, em parceria com a Ornimundo, criou a campanha Completa: Faça a conta|coisa certa.

Esta campanha tem como objectivo angariar dinheiro para a esterlização, vacinação e desparatização dos animais das famílias carenciadas, que não têm, de todo, o poder financeiro para o fazer. E como é que podem doar esse dinheiro? Sempre que forem a uma loja Ornimundo, basta arrendondarem o total da vossa conta e esse dinheiro é doado à Animalife. Simples!

Para além de dinheiro, podem entregar também, nas lojas Ornimundo e outros pontos de recolha, tudo aquilo que tenham em casa que os vossos patudos já não usem: camas, brinquedos, mantas...

A campanha acaba no final deste mês, por isso não se esqueçam: se fizerem compras na Ornimundofaçam a conta|coisa certa!


All The Bright Places
Andreia Capelo

quinta-feira, março 09, 2017

BOOK REVIEW | As Gémeas do Gelo, de S. K. Tremayne


Andava à procura d'As Gémeas do Gelo há imenso tempo. Não havia em lado nenhum - talvez por não ser tão conhecido em Portugal -, mas lá houve alguém que o encontrou e mo ofereceu no Natal, por saber o quanto eu queria este livro nas minhas mãos. Já falei de um livro deste autor aqui no blog, nos meus Favoritos de Janeiro. Este foi então o segundo livro que li - apesar de ser este aquele que eu mais queria ler.

Ora, como A Criança de Fogo, As Gémeas do Gelo trata-se de um thriller. E é aqui que a minha opinião é um bocado mais negativa: quando comecei a ler As Gémeas do Gelo, não pude deixar de assimilar este livro ao outro anterior. Começam ambos de forma parecida, o que tira um bocado a piada ao livro, para quem leu A Criança de Fogo. Para ser sincera, quase desisti da leitura por causa disso mesmo. Por isto, e por outras razões, não costumo ler mais do que um livro por autor, pois têm tendência a repetir-se em outras histórias suas. Lá continuei a leitura - um bocado contrariada - e começo a aperceber-me que afinal a história tem o seu encanto próprio e começa a desenvolver uma vertente diferente daquela que estava à espera - mas, ao mesmo tempo, ainda com alguns fatores semelhantes ao A Criança de Fogo

 
Designed by Beautifully Chaotic