⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

sábado, janeiro 07, 2017

BOOK REVIEW | Trilogia Millennium


Desde há uns tempos para cá que me tenho vindo a interessar por livros de acção e thrillers. Na verdade, o livro Os Homens Que Odeiam As Mulheres (o primeiro livro da trilogia Millennium) foi o primeiro livro que li, deste género. 
Para ser sincera, não foi um livro escolhido ao acaso. Lembro-me que, em 2009, fui ao cinema e escolhi um filme que me chamou a atenção: Män som hatar kvinnor (Os Homens Que Odeiam As Mulheres, em sueco). Na altura, desconhecia completamente os livros e o filme, e nunca vi nenhuma referência a esta saga. Há cerca de dois anos atrás, vi o primeiro livro à venda, e, como adorei o filme, por toda a emoção e drama que carrega, decidi dar uma oportunidade ao livro. E ainda bem que o fiz.

Apesar de ser uma trilogia, na minha opinião, estamos na presença de duas histórias - as personagens são as mesmas nos três livros, mas a história muda. Quando acabei o primeiro livro, não senti que houvesse necessidade de continuar a história. A história acaba de uma forma satisfatória, e tudo indicava que não haveria mais nada para contar. Mas, como o segundo livro me foi oferecido, decidi continuar a leitura - ainda que não super entusiasmada, visto que nada no final do primeiro livro leva a desejar ler o segundo.
O primeiro livro conta-nos uma história, o segundo e o terceiro, em conjunto, contam-nos outra. Podiam ser dois livros de sagas diferentes. Aliás, se uma pessoa não lê-se o primeiro livro e começasse por ler o segundo, não se iria sentir "perdida", porque a história não é a mesma. No segundo livro temos um novo drama, novos problemas, novas investigações, que se prolongam até ao terceiro livro. 

Passando à história da Millennium: é uma história com pés e cabeça. Assim que começamos a ler, percebemos que está cheia de enigmas, há sempre algo novo a acontecer, e, no final, tudo se liga, das maneiras mais inexplicáveis possíveis. É um quebra-cabeças, mas um quebra-cabeças bom. A escrita do autor é de tal maneira sofisticada e bem trabalhada que ajuda ainda mais na tensão e na emoção que sentimos ao ler os livros. É, tecnicamente, uma história sobre jornalistas, crimes, discriminação, casos e justiça. Um pouco de tudo à mistura, que tornam estes livros tão apetecíveis. 

Sei que esta saga conta, na verdade, com quatro livros. Os três primeiro foram escritos por Stieg Larsson, que, infelizmente, faleceu ainda antes de ver os seus livros publicados. O quarto foi escrito por David Lagercrantz, numa forma de homenagear Larsson. Na minha opinião, fiquei satisfeita com os três livros, e não me agrada muito a ideia de parte da história ter sido escrita por outra pessoa, que não está tão dentro do contexto como o autor - que tinha toda a história na sua cabeça, à sua maneira. Pelas críticas que tenho lido na internet, o quarto livro está quase tão bom como os três primeiros. Não me vou pronunciar, pois não pretendo lê-lo, a não ser que me seja oferecido.

Se tiverem curiosidade em ver o filme (existe uma versão em sueco - versão original - e uma em inglês, com o actor Daniel Craig) vejam, porque é quase tão bom como o livro. Devo alertar que é bastante explícito, mas é também isso que lhe dá unicidade e carisma. Se quiserem fazer uma tarde de cinema, apostem neste filme, a sério.

All The Bright Places
Andreia Capelo

10 comentários:

  1. Boa review, fiquei interessado em ler o primeiro livro. Vi o filme versão americana e gostei muito, não sabia que havia uma versão sueca (a original), vou tentar ver (fiquei curioso, adoro cinema europeu). Parabéns pelo blog, tornei-me seguidor :)

    Bitaites de um Madeirense | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que fazes bem, apesar de ter adorado a versão americana, a sueca, por ser a língua origem desta saga, torna-se muito mais realista e intensa :)

      Obrigada Paulo, beijinhos

      Eliminar
  2. Eu vi o filme no cinema há uns bons anos e fiquei chocada, realmente muito explicito e como não sabia para o que ia, saí de lá "traumatizada".
    Tenho uma imensa curiosidade em ler esta trilogia, que tão elogiada já foi.

    Marli, do My Own Anatomy ♥

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, o filme é, de facto, um tanto traumatizante, mas muito bom!

      Beijinhos Marli

      Eliminar
  3. Vi o filme, em sueco, e a outra versão e gostei muito de ambos! Mas a verdade é que não se trata de um filme "fácil" de ver . . . Tem partes que chegam a ser agonizantes!
    https://jusajublog.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Não sei bem quando, mas no momento em que me deparei com esta saga, que se me despertou a curiosidade. E estou até hoje para comprar o primeiro livro que, ainda bem que te pronunciaste, é como se fosse um livro único. Mas acho que para mim fará sentido se ler os três!
    Beijinhos!

    A Vida de Lyne

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma daquelas leituras que não se esquece, de tão boa que é! Eu li os três, e ainda bem que o fiz, porque pude continuar a acompanhar as personagens - que amo -, disse apenas que não havia necessidade de ler os outros livros (para os mais preguiçosos ou para aqueles que não tenham gostado da leitura) porque a história não era, de certa forma, contínua!

      Beijinhos Carolayne x

      Eliminar
  5. Eu gostei bastante desta história, apesar de a considerar um pouco pesada, está muito bem pensada e escrita. O livro que mais gostei foi o primeiro mesmo. Não sinto falta de ler o último livro, acho que o facto de ter dedo de outro autor me tira a vontade.
    bjs
    http://andreiamoita.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É pesada mas é excelente! :) Concordo contigo, a vontade de ler o último não é muita por essa mesma razão!

      Beijinhos x

      Eliminar

 
Designed by Beautifully Chaotic